Em busca da inclusão digital

artigos inclusao digital

A América Latina e a região do Caribe têm a dúbia distinção de serem algumas das regiões economicamente mais desiguais do mundo. Mas a distância econômica entre ricos e pobres é apenas parte da história. Outro termômetro é a exclusão digital.

Hoje em dia, o acesso à banda larga é um recurso essencial para o crescimento econômico e o desenvolvimento social que tem impacto direto sobre as chances de sucesso profissional dos cidadãos. Apesar do crescimento econômico saudável da América Latina e do Caribe nos últimos anos, a região ainda está atrasada em acesso à tecnologia, particularmente nas áreas rurais, mais empobrecidas.

Leia mais...

Uma questão de qualidade

artigos questao qualidade

Privatizar é transferir a titularidade de empresa estatal a acionista privado. Concessão é a exploração por terceiro, empresa privada ou estatal, de serviço que a lei atribuiu à União prestar. E controle é o poder de o acionista dirigir o destino da empresa, exercido isoladamente ou em conjunto. O Executivo retirou da Infraero concessões de três aeroportos, leiloou-as, e as outorgou a empresas privadas a esse fim constituídas, das quais, todavia, a mesma Infraero detém 49% do capital e participa do controle delas. No novo modelo de concessão reponta o dirigismo estatal, redivivo em outros mercados.

Leia mais...

Brasil: Classe C de Consumo - II

Reportagem: João Carlos Pinheiro da Fonseca

Essa matéria foi baseada na apresentação do publicitário Renato Meirelles, sócio-diretor do Instituto Data Popular, no evento "Satélites 2011", promovido pela Converge Comunicações, ao final do ano passado, num hotel no Rio de Janeiro. Meirelles tratou da nova classe C, em termos do que ela representa como mercado e também sobre as pessoas que a constituem.

A classe C e a crise

brasil-classe-c-de-consumo-iiProsseguindo com sua palestra, Meirelles conta uma anedota. Perguntado a alguém da classe C se ele sabia que o mundo estava em crise e se esta ia chegar ao Brasil. "A televisão disse que ia chegar", foi a resposta. "Você ficou preocupado?" O classe C responde: "claro que fiquei". E uma nova pergunta: "o que você fez?" A reação foi rápida: "comprei uma moto". O entrevistador então prossegue: "você não economizou?". E o classe C, rapidíssimo no gatilho : "já comecei a entregar pizzas".

Leia mais...

Brasil: Classe C de Consumo - I

Reportagem: João Carlos Pinheiro da Fonseca

brasil-classe-c-de-consumo-iTodo mundo se acha classe média no Brasil. O Brasil, em 2004, tinha 181 milhões de pessoas. Sete anos depois, 193 milhões. Dez anos depois, em 2014, deveremos ser 197 milhões. Tal crescimento não é, todavia, o fato relevante. O que realmente mudou no período foi a estrutura da nossa pirâmide social. É o fenômeno conhecido como a "emergência da nova classe C". Mudou, em pouquíssimo tempo, a distribuição da população brasileira pelas classes econômicas.

Essa matéria foi baseada na apresentação do publicitário Renato Meirelles, sócio-diretor do Instituto Data Popular, no evento "Satélites 2011", promovido pela Converge Comunicações, ao final do ano passado, num hotel no Rio de Janeiro. Meirelles tratou da nova classe C, em termos do que ela representa como mercado e também sobre as pessoas que a constituem. Utilizou os critérios da SAE – Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, de renda per capita familiar.

Leia mais...

Discutido o desenvolvimento da Banda Larga, no 2º Fórum Ibero-Americano, em São Paulo - III

discutido-o-desenvolvimento-da-banda-larga-no-2-forum-ibero-americano-em-sao-paulo-iiiContinuando com a palestra key note do SINDITELEBRASIL - - Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal, a conferencista Cláudia Viegas da LCA Consultoria, destacou que o Banco Mundial utiliza uma ferramenta para construir alavancas para a obtenção de um desenvolvimento mais homogêneo nos países e pautar políticas de serviços.

É o modelo GAPs. Basicamente, esse modelo avalia regiões do país, resultando numa visão "gráfica" do conjunto, em relação ao item que se está avaliando. E ainda mais, o GAPs permite identificar também que tipo de ações são necessárias, e onde, para fechar o gap (lacuna em inglês), do desenvolvimento.

Leia mais...

Discutido o desenvolvimento da Banda Larga, no 2º Fórum Ibero-Americano, em São Paulo - II

Brasil superou "voo de galinha"

discutido-o-desenvolvimento-da-banda-larga-no-2-forum-ibero-americano-em-sao-paulo-iiSucedendo a Carlos Duprat, a economista Claudia Viegas, da LCA Consultoria, empresa contratada pelo SINDITELEBRASIL- Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal, continuou a palestra keynote, iniciada pelo citado executivo.

Numa síntese "de um trabalho que está em andamento", Claudia Viegas tratou da economia brasileira "para contextualizar a banda larga no País". Dados indicam que a economia brasileira superou seu tradiconal "voo de galinha". Teria ficado para trás o crescimento econômico de curto fôlego, seguido de declínio. O crescimento médio do PIB per capita, de 2004 a 2010, foi de 3.6 %. O índice, final desse período, caiu um pouco, mas não caracterizou a volta do voo galináceo. Ao que tudo indica, nossa economia decolou sustentável.

Leia mais...

Desenvolvimento da Banda Larga, no 2º Fórum Ibero-Americano, em São Paulo - I

desenvolvimento-da-banda-larga-no-2-forum-ibero-americano-em-sao-paulo-iNuma síntese do II Fórum AHCIET, foram quatro painéis, em dois dias, em 7 e 8 de novembro de 2011. Presentes dirigentes, reguladores, executivos de prestadoras, de provedores de conteúdo, especialistas, líderes de opinião, da América Latina e em especial do Brasil.

A abertura solene, com hino nacional brasileiro, deu o clima do evento. Foram abordados quatro eixos temáticos: políticas públicas para Banda Larga (BL); conteúdo e aplicações; desafios da banda larga; e banda larga para a Copa Mundial de Futebol e Jogos Olímpicos, no Brasil. O SINDITELEBRASIL– Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal apresentou, em palestra key note, o trabalho "Contribuições para o Plano Nacional de Banda Larga".

Leia mais...

General Alencastro, ex-presidente da Telebrás (*14/04/1918 – †29/11/2011)

general-alencastro-ex-presidente-da-telebras-14-04-1918-29-11-2011A TELEBRASIL – Associação Brasileira de Telecomunicações lamenta o falecimento, ontem, dia 29 de novembro, do general José Antonio de Alencastro e Silva, perto de completar 94 anos de idade, em Brasília (DF). O general Alencastro, que assumiu a presidência da holding, em 1974, por onze anos dirigiu o Sistema Telebrás. Deixa um legado de destaque para o País no campo das telecomunicações. Ficará na memória como um símbolo de retidão e firmeza na condução da coisa pública. O general Alencastro integra a galeria de sócios honorários da TELEBRASIL. O velório do general Alencastro ocorre, dia 2 de dezembro, sexta-feira, das 10h às 13h, no Cemitério da Esperança, Brasília (DF), sendo, a seguir, cremado.

TELEBRASIL no lançamento da biografia de Ozires Silva, em São Paulo

telebrasil-no-lancamento-da-biografia-de-ozires-silva-em-sao-pauloEm São Paulo, Ozires Silva, de 80 anos, “o criador da Embraer”, autografou sua biografia, escrita por Decio Fischetti. Ambos engenheiros do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA). O biografado, além de criador da Embraer e ex-presidente da Petrobras, foi ministro da Infraestrutura (1990-1991). No XX Painel da TELEBRASIL, em Foz de Iguaçu, em 1989, nas vésperas da eleição presidencial, falou “por que era preciso mudar”.

A noite de autógrafos do livro “Ozires Silva” ocorreu, em 7 de novembro último, no Centro de Integração Empresa Escola, na capital paulista. O biografado é membro do Conselho Consultivo do CIEE. O subtítulo do livro, “criador da Embraer”, evoca a criação de uma empresa brasileira de tecnologia aeronáutica, reconhecida mundialmente.

Leia mais...

World Skills: medalhas de ouro para os brasileiros

world-skills-medalhas-de-ouro-para-os-brasileirosWorld Skills são as habilidades do mundo. Também é o nome de uma olimpíada internacional de talentos. É bianual. Ocorre desde 1950, só para jovens até 22 anos. No 41º World Skills London/2011 foram 45 modalidades, mil competidores, 51 países. Brasil, atrás da Coreia do Sul, tirou o 2º lugar do certame, com medalhas de ouro, prata e bronze. Um feito notável que o mestre José Pastore registrou no O Estado de S.Paulo, de 25/10/2011. Veja aqui.

OS BRASILEIROS BRILHARAM, MAIS UMA VEZ!

Os brasileiros obtiveram oito medalhas de ouro nos campos do desenho mecânico, eletrônica industrial, mecânica de refrigeração, mecatrônica, joalheria e web design e ganharam três medalhas de prata em polimecânica, design gráfico e tecnologia da informação. Além disso, conquistaram várias medalhas de bronze e certificados de excelência, o que os colocam entre os jovens mais bem preparados do mundo.

A imprensa deu pouca atenção aos jovens brasileiros que, no início de outubro, disputaram o mais difícil torneio mundial de qualificação profissional, realizado em Londres - o World Skills que reuniu 944 competidores de 51 países das mais diversas profissões.

Leia mais...

Pagina 2 de 4

Emissão de Guias GRCS

cadastre sua empresa

Receba nossas novidades

Rio de Janeiro - RJ

Avenida Pasteur, 383 - Urca
Rio de Janeiro - RJ - CEP: 22290-240

Tel.: +55 (21) 2244-9494 - Fax:+55 (21) 2542-4092

Brasília - DF

SCN Quadra 1, Bloco F - Ed. América Office Tower
8º andar - Brasília - DF - CEP: 70711-905

Tel: +55 (61) 2105-7455